NOTÍCIAS
Home Notícias Geral Golpe do auxílio emergencial atinge mais de 11 milhões de pessoas; Caixa dá dicas de como evitar

Golpe do auxílio emergencial atinge mais de 11 milhões de pessoas; Caixa dá dicas de como evitar

Muitas pessoas perdem dinheiro ou compartilham dados pessoais com hackers ao tentar acessar seu benefício

21/05/2020

SÃO PAULO – Golpes que prometem o auxílio emergencial pago pela Caixa Econômica Federal seguem circulando no WhatsApp e nas redes sociais. Até a última terça-feira (19), foram detectados mais de 11 milhões de tentativas do tipo envolvendo o auxílio de R$ 600, de acordo com o monitoramento do dfndr lab, laboratório especializado em segurança digital da PSafe.

Com a divulgação feita nesta segunda (18) do calendário da última parcela do primeiro lote e o início da segunda parcela do auxílio emergencial da Caixa, é preciso prestar ainda mais atenção para evitar prejuízos financeiros.

A última análise do laboratório de segurança digital, feita em 7 de abril, mostrava que cerca de 6,7 milhões de pessoas podem ter entrado em contato com o golpe. Pouco mais de um mês depois, foram mais outros 5 milhões de novos casos.

Segundo o dfndr lab, até a última terça-feira (19), também foram detectados 270 aplicativos falsos (também chamados de malwares) relacionados ao coronavírus.

O laboratório de segurança digital afirma que o objetivo dos cibercriminosos com estes golpes é de roubar dados pessoais e lucrar a partir da visualização de propagandas nas páginas falsas.

A Caixa afirma que, junto com outros órgãos do governo, Polícia Federal e as próprias lojas de aplicativos, vem monitorando e atua continuamente para bloquear e desativar os serviços falsos.

Vale lembrar que o único aplicativo idôneo do programa do governo é o Caixa Auxílio Emergencial, encontrado tanto em sistemas Android, quanto iOS.

Leia mais em…https://www.infomoney.com.br/minhas-financas/golpe-do-auxilio-emergencial-atinge-mais-de-11-milhoes-de-pessoas-caixa-da-dicas-de-como-evitar/

Fonte: www.infomoney.com.br

COMENTÁRIOS: Os comentários representam a opinião de seus autores, e não da União Geral dos Trabalhadores.