NOTÍCIAS
Home Notícias ECONOMIA Dólar opera em queda, ao redor de R$ 4,95

Dólar opera em queda, ao redor de R$ 4,95

Na sexta-feira, a moeda norte-americana caiu 2,66% e fechou a R$ 4,9930.

08/06/2020

O dólar opera em queda nesta segunda-feira (8), se mantendo abaixo do patamar de R$ 5, dando sequência às perdas das últimas semanas em meio a um maior otimismo sobre uma recuperação econômica no exterior, embora as incertezas políticas domésticas continuem no radar dos investidores.

Às 10h38, a moeda norte-americana caía 0,88%, a R$ 4,9490. Na mínima até o momento chegou a R$ 4,9250. Veja mais cotações.

Na sexta-feira, o dólar fechou em queda de 2,66%, a R$ 4,9930, na menor cotação de fechamento desde 13 de março (R$ 4,8127). Na semana, acumulou queda de 6,44%, no recuo mais intenso para o período desde a última semana de outubro de 2008, segundo o ValorPro. Em 2020, no entanto, a moeda ainda tem alta de 24,52%.

Banco Central ofertará até 12 mil contratos de swap tradicional para rolagem nesta segunda-feira, com vencimentos divididos entre setembro de 2020 e fevereiro de 2021, destaca a Reuters.

Cenário externo e interno

No exterior, permanece o viés mais positivo nos mercados. O salto inesperado nos dados de emprego dos EUA da semana passada alimentou esperanças de uma recuperação econômica global da pandemia de coronavírus mais rápida do que o inicialmente esperado.

No cenário doméstico, permanecem as incertezas sobre a perspectivas de recuperação da economia, em meio ao número ainda alta de novos casos diários da Covid-19 e tensões políticas.

Nesta semana, os economistas do mercado financeiro reduziram novamente a previsão para o Produto Interno Bruto (PIB) em 2020, conforme boletim “Focus” do Banco Central. A projeção passou de uma queda de 6,25% para um tombo de 6,48%.

Já projeção para a taxa de câmbio no fim de 2020 ficou estável em R$ 5,40. Para o fechamento de 2021, permaneceu em R$ 5,08 por dólar.

O cenário para a indústria por sua vez sofreu forte piora, com uma queda estimada agora da produção de 5,35% em 2020, ante contração de 3,59% prevista antes.

Fonte: G1

COMENTÁRIOS: Os comentários representam a opinião de seus autores, e não da União Geral dos Trabalhadores.