NOTÍCIAS
Home Notícias ECONOMIA Dólar abre a semana em queda, abaixo de R$ 5,80

Dólar abre a semana em queda, abaixo de R$ 5,80

Na sexta-feira (15), moeda norte-americana encerrou o dia em alta de 0,34%, a R$ 5,8384.

18/05/2020

O dólar abriu em queda nesta segunda-feira (18), de olho na cena política local e em dia mais positivo nos mercados globais em meio à flexibilização em diversos países das restrições e bloqueios causados pelo coronavírus.

Às 10h, a moeda norte-americana caía 1,57%, a R$ 5,7465.

Nesta segunda-feira, o Banco Central realiza leilão de swap tradicional de até 12 mil contratos com vencimento em setembro de 2020 e fevereiro de 2021, para rolagem de contratos já existentes.

Na sexta-feira, o dólar encerrou o dia em alta de 0,34%, a R$ 5,8384, acumulando avanço de 1,66% na semana. No mês, a alta chega a 7,33%, e no ano, a 45,60%. Já o dólar turismo encerrou cotado a R$ 6,0627, sem considerar o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

Se aproximando de R$ 6, até onde vai o dólar?
Brasileiros correm para vender dólar após disparada da moeda

Cena local e externa

Na exterior, as principais bolsas da Europa e os preços do petróleo saltavam nesta segunda-feira, com os investidores esperando por uma recuperação gradual à medida que muitos países flexibilizam os bloqueios e reabrem a economia.

O presidente da França, Emmanuel Macron e a primeira ministra da Alemanha, Angela Merkel, farão um encontro virtual e a expectativa é que apresentem medidas para a recuperação da Europa.

Por aqui, os analistas do mercado pioraram a projeção de queda do PIB do Brasil em 2020 para um tombo de 5,12%, segundo pesquisa Focus divulgada nesta segunda-feira pelo Banco Central. Apesar da nova queda, a previsão do mercado para a contração do PIB brasileiro em 2020 ainda está abaixo da divulgada pelo Banco Mundial, que estima um tombo de 5%, e pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), que prevê queda de 5,3%.

Já a projeção para a taxa de câmbio no fim de 2020 avançou de R$ 5 para R$ 5,28.

Na cena política, o país segue sem um nome para o Ministério da Saúde, após Nelson Teich ter pedido demissão na última sexta-feira.

Fonte: G1

COMENTÁRIOS: Os comentários representam a opinião de seus autores, e não da União Geral dos Trabalhadores.