NOTÍCIAS
Home Notícias Política Câmara inicia sessão para votar MP que altera regras trabalhistas

Câmara inicia sessão para votar MP que altera regras trabalhistas

MP inclui, entre outras medidas, redução de salários e teletrabalho

17/06/2020

O plenário da Câmara dos Deputados iniciou há pouco sessão remota para votar a Medida Provisória (MP) 927/20, que altera regras trabalhistas durante a pandemia do novo coronavírus (covid-19). Entre as medidas previstas está a previsão de redução de salários, teletrabalho, antecipação de férias e de feriados, concessão de férias coletivas, entre outras. O texto chegou a ser discutido na sessão de ontem, mas teve a votação adiada devido à obstrução feita pelos partidos de oposição.

No início da sessão, a oposição apresentou requerimento para a retirada da proposta de pauta, que foi derrotado por 219 votos contra e 90 votos a favor. No momento, os deputados debatem outro requerimento que pede a votação do texto artigo por artigo.

O relator da MP, deputado Celso Maldaner (MDB-SC), apresentou relatório incluindo algumas emendas, como a permissão do desconto de férias antecipadas e usufruídas das verbas rescisórias, no caso de pedido de demissão, se o período de aquisição não tiver sido cumprido pelo trabalhador.

O texto também prevê a possibilidade de estabelecer regime especial de compensação de jornada por meio de banco de horas, quando houver a interrupção das atividades do empregador. A compensação poderá se dar no prazo de 18 meses, a contar da data de encerramento do estado de calamidade pública.

Pelo texto do relator, a compensação das horas acumuladas em banco de horas também poderá ser feita nos fins de semana, seguindo-se as regras da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), que condiciona a medida à permissão da autoridade trabalhista.

A MP também suspende a exigência do depósito no Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) pelos empregadores em relação aos meses de março, abril e maio de 2020. Segundo o texto, o empregador poderá parcelar o recolhimento em até seis parcelas mensais, a partir de julho de 2020, sem a incidência de atualização monetária, multa e demais encargos.

Deputados da oposição argumentam que a MP visa a retirar direitos dos trabalhadores. “As pessoas ficaram três meses sem poder trabalhar e na volta [ao trabalho] vão ter que pagar isso, criticou a deputada Fernanda Melchionna (Psol-RS).

Além da proposta, também está na pauta da Câmara a votação do Projeto de Lei (PL) 1013/20, que suspende o pagamento de dívidas dos clubes de futebol durante o período de calamidade pública relacionada ao novo coronavírus, e o PL 1494/20, que permite o atendimento na modalidade telessaúde para fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais enquanto durar a pandemia.

A pauta inclui ainda o PL 3267/19, que altera o Código de Trânsito Brasileiro. A proposta, do Poder Executivo, entre outros pontos, dobra a pontuação limite para suspensão da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e transforma em advertência a multa para quem descumprir a regra que obriga o uso cadeirinha para crianças com até sete anos e meio, no banco traseiro do veículo.

Fonte: www.agenciabrasil.ebc.com.br

COMENTÁRIOS: Os comentários representam a opinião de seus autores, e não da União Geral dos Trabalhadores.